Um brinde a isso: uma vida dedicada ao estilo


Um brinde a isso: uma vida dedicada ao estilo é de autoria de Betty Halbreich, com colaboração de Rebecca Paley, e foi publicado pela Intrínseca em 2015. Betty é responsável pelo departamento de compras personalizadas da loja Bergdorf Goodman há mais de quarenta anos. Graças a seu trabalho, superou momentos difíceis e conheceu várias pessoas, influenciando a vida de umas e sendo influenciada pela de outras.
O pretérito mais-que-perfeito do indicativo se refere a uma ação ocorrida antes de uma outra ação também no passado. A autora relata que o término do namoro aconteceu antes da viagem a Miami; o verbo TERMINAR, dessa forma, deveria estar conjugado no pretérito mais-que-perfeito e não no perfeito do indicativo (um namoro que terminara – tinha terminado – mal) – pág. 55.
A palavra “onde” nesse fragmento funciona como pronome relativo (equivalente a “na qual”) e é o conectivo que introduz a oração. Nesse tipo de estrutura, a próclise é o melhor caminho – além de ser o que preconiza a norma culta, é a construção mais espontânea no Brasil.
APESAR DE é locução prepositiva que indica oposição a uma ideia anteriormente exposta.
O sujeito da frase é SOLUÇÕES, portanto o verbo ENCONTRAR precisa concordar com ele. A frase está na voz passiva e o sujeito está no plural, então o verbo também deve ser conjugado no plural – o SE, nesse caso, é partícula apassivadora (é lá que se encontram soluções).
Em início de frase, a ênclise (colocação do pronome oblíquo átono após o verbo) é mandatória, vez que não se deve iniciar oração com tal pronome (perdemo-nos dela) – pág. 208.
O adjetivo VIÇOSAS refere-se a ORQUÍDEAS, que é uma palavra feminina e está no plural – pág. 271.



AMANDA PESSOA  2018 © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

  • Grey Instagram Ícone
  • Ícone cinza LinkedIn
  • Grey Facebook Ícone